quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pin-ups alternativas brasileiras (Parte III)

Hello, fãs da Dita Von Teese! (Quem não, né?)

Hoje eu resolvi trazer pra vocês mais algumas indicações de pin-ups alternativas! Já fiz o post 1 e o post 2 falando sobre essas mulheres maravilhosas que eu vou descobrindo no Instagram. O Instagram pra mim é uma puta rede social pra isso, além das indicações da Raquel Hübner, eu acabei descobrindo várias outras minas que tem essa pegada de ter um guarda-roupa mais vintage, mas sendo bem horror ladies. As mulheres que vou compartilhar com vocês hoje são uns mulherão da porra! Vamos começar?

P.s.: um recadinho pras moças desse post e dos posts anteriores (e dos que virão): vocês influenciam e muito várias minas que admiram o estilo de vocês, se baseiam no que vocês vestem e usam, no empoderamento de vocês, e o melhor disso é que vocês são brasileiras e mostram que aqui no Brasil tem referência o suficiente!



A Sarah (além de ser uma deusa que foi enviada dos céus para habitar a Terra) é modelo alternativa e uma das maiores pin ups alternativas da cena. Ela ganhou recentemente um concurso de pin-ups, o Miss Pin-Up The Sailor 2017, pra vocês verem o poder dessa mulher! Eu gosto do estilo da Sarah porque ela mistura com outras estéticas de subculturas. Já tem até certo tempo que acompanho o trabalho dela como modelo, porque a bicha é muito famosa nas marcas alternativas. Eu realmente admiro muito ela e esse estilo dela. Fora que eu adoro pin ups de cabelo colorido! <3



Quem assiste RuPaul's Drag Race está acostumado com a expressão "painted for the gods". Significa que a maquiagem da pessoa é tão maravilhosa que é um trabalho para os deuses. A Glasya não é drag, mas o rosto dela está sempre pintado para os deuses. Ou melhor, for Satan. Essa demôniazinha conquistou meu coração com essa beleza clássica. Essa mina tá arrasando demais no blog dela, o Carpe Noctem, que inclusive é parceiro aqui do Vultus Persefone. Sempre tem posts sobre a história de algo, sobre peças que ela usa, looks e muito mais. Ela é muito horror lady, e foi no blog da Glasya que eu descobri o nome da pin-up abaixo... Aliás, nesse post.


A primeira coisa que eu vou falar da dona Lady Falkor é o seguinte: MOÇA, POSTA MAIS FOTOS SUAS POR FAVOR. OBRIGADA. Essa mulher é lindemais, gente! Olha esse rosto dos anos 20, que coisa mais rica! Ela é muito diva alternativa e tem um estilo bem vintage, bem horror lady também. Ela foi uma indicação da Raquel que eu guardei no coração desde maio pra fazer esse post agora (se eu não guardasse ia ter 20 meninas em um post só UAHAHUHAUAHUAHUA) e não é que foi melhor assim? Foi melhor porque quando a Raquel me mostrou o insta dela, eu não reparei que ela tinha uma loja maravilhosa de lingerie chamada Lilith Atelier, e agora eu posso divulgar também o trabalho dela como estilista! E logo mais sai o post de renovação na wishlist e eu já aviso que vai ter item de lá... AUHHAUHAUHAU



Outra que eu me sinto na obrigação de falar: MOÇA POSTA MAIS FOTOS! A Bruna é um tapa na cara da sociedade que diz que pin up tem que ser branca. Aqui tem pin-up negra sim, e tem pín-up negra e de coração trevoso! Me diz se não dá vontade de ser amiga dessa mulher, de andar junto com ela no recreio? Eu acho massa porque ela sempre usa a hashtag #blackpinup, o que ajuda a divulgar ainda mais as pin-ups negras! E ela é bruxiane que nem eu, como não admirar? <3 Mas Bruna, fica o recado: POSTA MAIS FOTOS. Obrigada, 2bjs.



A Cintia é essa criatura do sorriso fofo que eu conheci quando ela virou alt model da Dark Fashion. Aliás, não apenas modelo alternativa. Modelo alternativa plus size. E pin-up. E tatuada. A coisa mais linda! <3 E ela é representante das minas tatuadas, seja sendo modelo do insta Gibi Girls ou ganhando o Miss Âncoras Tattoo Fest. E também representante das plus size, e cara, como eu amo poder indicar minas plus size no meu blog. <3

Eu espero que vocês tenham gostado das indicações de hoje. Eu sei que o post ficou ótimo porque eu só indiquei mina foda. Espero que vocês tenham gostado, e se tiverem mais minas pin-up brasileiras pra me indicar, comentem aqui, me chamem no Facebook, no Insta, enfim, onde precisar, mas me avisem! Não quero deixar de enaltecer essa cena! <3

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Memórias da minha infância e adolescência - BEDA 2.0 #15

Hello, meninas!

Todo dia 15 é dia de mais um post do Projeto de Escrita do Universo Alternativo, projeto criado pela Jaqueline Campos do blog 4sphyxi4. E o desafio de hoje é trazer algumas memórias da infância e da adolescência, então eu vou realmente tentar colocar o máximo de fotos antigas aqui, porque pretendo fazer um vídeo falando sobre uma parte especial da minha adolescência: a fase emo. UAHAUHAUHAUHAUHAHA Vamos ver as fotos?




Eu nasci em 1992 e não muito depois eu me tornei essa criatura extremamente sorridente em fotos, super posista e supostamente carnavalesca. AUHAUHAUHAUHAU Como toda criança dos anos 90, eu fui obrigada a entrar em roupas que várias crianças já tinham entrado pra tirar foto. Por isso eu fui uma ovelhinha da Parmalat e um o B2 do Bananas de Pijamas. AUHAUHAUHAUHAUH ANOS 90 MELHOR ÉPOCA! Nas fotos acima eu tenho 2, 3 e 4 anos, respectivamente. Eu sempre gostei de fotos, sempre fui fotogênica, mas desde sempre também eu gostava de fotografar e ser fotografada <3




Eu sou cearense, mas entre 1998 e 2011 eu e minha mãe moramos no Rio Grande do Sul, que foi quando eu absorvi muito da cultura gaucha (e do sotaque) e cheguei a ser prendinha. AUHAUHAUHA Na cultura gaudéria, a mulher é prenda e o homem é peão. E aí as pessoas vão nos CTGs (Centros de Tradição Gaúcha) dançar e tomar um trago, além de comer churrasco, claro. E na foto acima eu tô bem linda de prendinha com o irmão do meu amigo vestido de peão. Eu tinha 7 anos nessa foto (e 6 na foto do chimarrão) e apesar de eu estar sorrindo, eu tava bem nervosa por segurar a mão do crush. AAUHAUHAUHAUHAUHAUA





Agora a gente faz um salto pra minha fase emo, porque eu não tenho fotos dos meus 9 aos 16 anos no computador. Eu tava com um cabelão (porém talvez uns 30cm a menos do que eu tenho hoje) e resolvi diminuir. Aí dividi o cabelo no meio e fui cortando. Fui cortando e cortando e toda vez que cortava ficava torto, até que ele ficou do tamanho das fotos acima, quando chorando, eu pedi pra minha mãe deixar o cabelo reto AUHAUHAUHA Quando o cabelo tava comprido eu fazia mechas cor de rosa, quando cortei resolvi investir no verde, se é que dá pra notar nas fotos acima. 



Aí, com o cabelo mais crescidinho, eu fui convidada pra um cabeleireiro da minha cidade (já no Ceará) pra servir de modelo capilar pra ele testar umas tintas de uma marca lá. Aí quando ele começou a descolorir começou a aparecer o verde que já era pra ter saído. Aí meu cabelo ficou verde, castanho, vermelho, preto e loiro. E aí eu fiquei dois meses me achando a menina do clipe de 5 Colours In Her Hair, do McFly. AUHAUHAUHAU Aí quando começou a sair a tinta eu taquei um roxo por cima de algumas mechas, e fui usando roxo por um tempo, porém não tenho mais fotos dessa fase :/


 

E aí, já com 17 e muito cansada de pintar e descolorir cabelos, eu resolvi aquietar o cu e pintar ele de preto, mas deixar a parte de baixo descolorida. Nessa fase eu tava ainda na fase emo, porém mais pro lado do screamo. Percebam como minha franja era cuidadosamente jogada por cima da testa UAHUAHAUHUA Eu só tenho fase dessa época porque a Renata (essa menina das fotos) salvou essas, porque a real é que a burra aqui salvava as fotos todas no Orkut e esqueceu de ir lá baixar elas antes do Orkut acabar. Porém essa época foi importante porque foi o começo da minha fase de querer usar só preto.

Gente, não sei o post era pra ser assim, mas foi assim que eu fiz UAHUAHUAHAUHUA Eu vou falar melhor sobre a fase emo em vídeo, como disse lá em cima. Eu tava com o vídeo gravado e sem conseguir editar, aí acabei tendo que excluir do celular porque tava ocupando muito espaço, e agora vou ter que gravar de novo. Mas prometo que vai ficar bem legal! Um beijão e obrigada pelo carinho, até o próximo post! <3

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Séries que estou assistindo | BEDA 2.0 #14

Hello, leitoras das trevas!

Primeiro eu queria pedir desculpas pelo sumiço. Eu prometi que ia entregar 31 posts em agosto e vou, mas não tô conseguindo fazer um post por dia, então faço alguns em um determinado dia e vou postando atrasado. Eu me mudei, fiquei sem internet e agora que tenho de novo vou honrar o compromisso do BEDA. Não desistam de mim!

Hoje eu vim comentar um pouco com vocês sobre as séries que eu tô assistindo atualmente, e quem sabe no meio delas vocês encontrem alguma que agrade vocês, né? Essas são as que tô assistindo atualmente, e vou indicar cinco (apesar de eu estar acompanhando mais que isso) porque se eu for falar de todas, a gente vai ficar muito tempo nesse post. UAHAUHAUHAUHUA Vamos começar?

1. Limitless


Limitless é mais uma série cancelada que tem na Netflix. Eu nunca daria bola pra essa série se não fosse o autor desse post insistindo muito pra eu assistir. Existe um filme chamado Limitless (Sem Limites) com o Bradley Cooper e o Robert De Niro que é GENIAL. A série é uma continuação dessa história, porém com outro protagonista. Eu tô no quinto episódio da série e eu tô gostando bastante. Conta a história de uma droga que a pessoa toma que ativa aquelas partes do cérebro que a gente não usa, então é como se a pessoa que usa ganhasse super poderes cerebrais. Mas obviamente uma droga assim terá grandes efeitos dependendo de quem a usa, e de quem a distribui. Esse é o conflito da série e a dinâmica dela é muito, mas muito boa de assistir. Dica do dia: não deixe de assistir uma série só porque ela foi cancelada.

2. RuPaul's Drag Race All Stars (Season 01)


Pra quem não sabe, eu sou completamente apaixonada e viciada em RuPauls Drag Race. É uma competição de drag queens dos EUA (mas sempre tem alguém de Porto Rico) em que as drags tem várias tarefas sobre o que é ser drag: costurar, cantar, dançar, performar, desfilar, fazer lip-sync, impersonalizar alguém conhecido e etc. A série já tem 9 temporadas e mais duas temporadas chamadas All Stars, com drags que participaram de alguma das 9 temporadas, porém não ganharam. As competições são maravilhosas, as brigas entre elas também (AMOOOOOO), tem muita referência a cultura pop e é uma das coisas mais divertidas de se assistir. Tem da temporada 2 até a temporada 8 na Netflix, mas infelizmente o All Stars não tá disponível lá, então eu tenho que baixar. Eu super recomendo!

3. Game of Thrones


Sim, eu amo Game of Thrones. Na real, não é que eu ame Game of Thrones. Eu amo As Crônicas de Fogo e Gelo, que é a história original dos livros. Infelizmente a série virou um fan service total (que é quando os produtores mudam isso ou aquilo na história da série pra agradar os fãs), porém o autor das Crônicas, o George R. R. Martin, só publicou 5 livros do total de 7 da série, e aí chegou um momento em que a série chegou no quinto livro, aí ele meio que falou pros produtores o que acontece e eles estão fazendo a série baseados nisso. Não é que eu não goste da série, mas o Martin é muito melhor que os produtores da HBO em contar essa história e não tem pena dos fãs, mata quem tiver que matar e é isso aí. Porém não tem como ignorar a série e eu realmente gosto dos atores, então tô acompanhando a cada episódio vazado. UAHUAHUAHUAHUAHU Starks <3

4. Orange Is The New Black


Orange Is The New Black é uma série que conta um pouco de como é a vida nos presídios femininos dos Estados Unidos. Eu gostei muito mais da série quando parou de falar só da Piper e o background de outras personagens é muito interessante. É uma série que te leva do choro ao riso no mesmo episódio, e é a série que tem a cena que mais me fez chorar em toda a história de séries. E também, OITNB é uma série que me pôs pra pensar bastante sobre quão injusta é a situação presidiária, porque comecei a pensar que se nos EUA é assim, imagina aqui no Brasil... Mas é uma série muito boa de assistir, e eu tô quase terminando a temporada mais recente, aí vou ter que ficar na espera da próxima, por isso tô me enrolando pra terminar... UAHAUHAUHAUHAHAU

5. Vikings


Eu deixei a minha preferida pro final AUHAUHAUHAUHAU Então, seguinte. Eu sou muito fã de mitologia grega e nórdica, então quando eu descobri Vikings em 2014 foi só emoção. A série conta um pouco de como começaram as excursões vikings e até onde os vikings chegaram, explorando a Europa católica. Eu vou começar a segunda parte da quarta temporada agora e até então não tem coisa que eu queira mais assistir, mas também tô me enrolando pra não ter que passar muito tempo esperando a quinta temporada. É uma série genial, com boas lutas, personagens interessantes, plot twists e muito mais. E vikings. Precisa de mais? Hahahaha

Enfim, espero que tenham gostado de ver um pouco do que é minha mistura de gostos se tratando de séries. Comenta aqui se você assiste ou assistiu alguma, e se quiser me indicar alguma que talvez eu vá gostar, eu agradeço! Não que eu tenha tempo de assistir série com todos esses posts atrasados... E mais uma vez, desculpem pelos atrasos! Vai dar tudo certo nesse BEDA lindo! <3

domingo, 13 de agosto de 2017

Darkoufit: Metallicat lady | BEDA #13

Hello, trevosianes!

Eu resolvi trazer um look do dia, e esse é especial porque é o último nesse quartinho. Eu vou continuar morando sozinha (aêêêê!), já coloquei meus móveis na casa nova, mas só no fim do mês eu posso ir morar lá. A casa vai passar por umas reforminhas pra ficar mais habitável e enquanto isso ficarei na casa da mamacita, e tudo isso é só pra dizer que: vai continuar tendo looks sim, mas não com a minha decoração do jeito que eu gosto. Então, vamos ver como ficou esse look? <3




Minha mãe parece que finalmente entendeu o meu estilo e ao invés de tentar comprar uma roupa colorida ou nada a ver comigo, ela me deu essa saia midi de tule. Ela tem um forro metalizado, uma segunda saia, na altura do joelho. Ela é LINDA, vocês podem ver melhor aqui. O efeito que ela tem é maravilhoso, e ainda assim o preto prevalece. Preciso dizer que amei? Eu digo: eu amei. Real oficial.




Eu sou adepta do guarda-roupa all black, mas eventualmente eu uso outras cores. As pessoas me perguntam: "Tu só usa preto?" e sim, pra sair de casa eu geralmente só uso preto, mas em casa eu uso qualquer roupa que eu goste do corte ou textura independente de cor. Claro, gostaria de substituir muitas coisas por peças pretas, mas eu também gosto muito de cinza e amo essa camiseta do Metallica. E eu também penso em algumas peças roxas ou vermelhas, mas a proporção do guarda-roupa dos meus sonhos é 80% preto, 20% cinza, roxo ou vermelho. Fazer o quê, né? Black is such a happy color. 



Aí resolvi fazer uma coisinha mais feminina, criei uma franja e prendi com grampos e fiz um coquezinho pra prender um pouco o comprimento dos cabelos e realçar melhor o onduladinho/cacheado das pontas. Eu queria fazer uma coisa mais pin-up no cabelo e no look todo, mas o que saiu foi uma metaleira de saia midi mesmo. AUAUHAUAHUHAUHA Queria algo bem simples e confortável.



A ideia desse look era trazer três detalhes de roxo pra casar com o preto e o cinza. Primeiro, no batom. Segundo, nesse colar da Atelier Leviathan. Ele tem líquido roxo dentro dele pra imitar um veneno, é da coleção de itens para RPGistas da loja! E se você quiser comprar alguma coisa na loja, pode usar o código de VULTUSPERSEFONE pra ganhar 10% de desconto! <3. E terceiro nas asinhas roxas de morcego para coturno da Dark Prophecy que tem rendinha por cima. Eu queria muito mostrar melhor como são cada uma das peças acima, mas acabei não tirando uma foto que mostrasse melhor em detalhes.

Mas enfim, o que acharam do look? Espero que tenham gostado, porque eu realmente amei muito muito muito esse look! Beijão! <3