5 filmes brasileiros pra sair do clichê

Hell-o dark ladies!

Eu queria falar mais sobre filmes aqui no blog e acabo não fazendo isso o bastante porque acho que é algo que não vai agradar. Acontece que eu sou uma super cinéfila e esse é meu blog, então eu vou falar mais disso aqui mesmo que ninguém queira ler! AHAAUHAUAHUA 

Eu tinha um enorme preconceito com cinema brasileiro e me pegava falando que os únicos filmes do nosso país que prestavam eram O Auto da Compadecida e Central do Brasil. A realidade é que eu nunca tinha adentrado no cinema brasileiro e saído daquela área de filmes que parecem ser todos produzidos pela Globo ou algo do tipo, que permanecem no gênero comédia pastelão e lá se enterram.

Porém, graças a um casal de amigos muito queridos (oi Liri, oi Xandi!) que estavam em um desbravamento do cinema, eu acabei embarcando com eles nessa história e pude provar um outro lado do cinema brasileiro, alguns com densidade o suficiente pra nos afogar. Pensando nisso e querendo trazer um lado meio que antropológico da coisa, eu escolhi cinco filmes que me fizeram perceber o quanto o cinema brasileiro é rico, mágico, multi-facetado, livre de amarras e sim, denso. E também, com essas indicações vocês vão ver o quanto eu amo o trabalho do Irandhir Santos como ator! 

1. Tatuagem (2013)


Resumo: Recife, 1978. Clécio Wanderley (Irandhir Santos) é o líder da trupe teatral Chão de Estrelas, que realiza shows repletos de deboche e com cenas de nudez. A principal estrela da equipe é Paulete (Rodrigo Garcia), com quem Clécio mantém um relacionamento. Um dia, Paulete recebe a visita de seu cunhado, o jovem Fininha (Jesuíta Barbosa), que é militar. Encantado com o universo criado pelo Chão de Estrelas, ele logo é seduzido por Clécio. Não demora muito para que eles engatem um tórrido relacionamento, que o coloca em uma situação dúbia: ao mesmo tempo em que convive cada vez mais com os integrantes da trupe, ele precisa lidar com a repressão existente no meio militar em plena ditadura.

Foi esse filme que me lançou na busca por mais filmes brasileiros que fugissem do padrão. É impossível assistir Tatuagem e não ter vontade de conviver com o pessoal de Chão de Estrelas. Irandhir Santos tá SENSACIONAL nesse filme, é impossível não ser seduzida por ele. O romance em si, tema principal do filme é algo que te leva a pensar o que você faria, naquela época, no lugar de cada um deles. A atuação de todo mundo vem da alma, sabe? Tem cenas nesse filme que me arrepiam. E tem cenas que eu adoro e me deixam maravilhada, como a cena da polka do cu. O filme é podia ter só essa cena e ainda seria digno de todos os meus elogios!

2. A Festa da Menina Morta


Resumo: Há 20 anos uma pequena população ribeirinha do alto Amazonas comemora a Festa da Menina Morta. O evento celebra o milagre realizado por Santinho, que após o suicídio da mãe recebeu em suas mãos, da boca de um cachorro, os trapos do vestido de uma menina desaparecida. A menina jamais foi encontrada, mas o tecido rasgado e manchado de sangue passa a ser adorado e considerado sagrado. A festa cresceu indiferente à dor do irmão da menina morta, Tadeu. A cada ano as pessoas visitam o local para rezar, pedir e aguardar as "revelações" da menina, que através de Santinho se manifestam no ápice da cerimônia.

Quando eu descobri que esse filme era dirigido pelo Matheus Nachtergale eu fiquei bastante impressionada. Eu já sabia que ele era um baita ator, mas ele se excedeu como diretor. Eu fiquei impactada com o talento de alguns atores, já que eu só tinha visto em novelas da Globo ou coisas do tipo. Há uma entrega aos personagens e seus dramas incrível. O filme mexe com vários temas como luto, tradições do interior, incesto, vida e morte. E eu gosto como as coisas meio que tem uma maneira não linear de acontecerem, algo não estrito ao roteiro, sabe? Esse filme me pegou muito de surpresa e eu simplesmente adorei ele. Quer densidade? Dá o play nesse filme. 

3. Baixio das Bestas (2006)


Resumo: Na Zona da Mata pernambucana, região de canaviais que movimentam trabalhadores rurais e caminhoneiros, vive Auxiliadora, jovem de 16 anos explorada por seu avô, Heitor. O homem tem um discurso moralista mas não pensa duas vezes antes de exibir a neta nua por dinheiro em um posto de parada de caminhões. Na cidade mora o estudante Cícero, de família de classe média, que passa os fins-de-semana envolvido com álcool, drogas e orgias sadomasoquistas com as prostitutas de Dona Margarida, comandadas pelo doentio Everardo. Cícero vê Auxiliadora no posto e imediatamente a deseja, passando a segui-la pelas ruas. No campo, a moça chama a atenção do humilde Maninho, mas, apesar dela também se interessar por ele, o rapaz é afastado pelo avô e se ressente disso.

Esse filme é bem pesado, mas bem real. Não é apenas a realidade de uma vila do interior. O abuso das mulheres na sociedade, principalmente de maneira exploratória, fazendo do sexo um negócio e da mulher um produto, é realidade em todo o lugar. O filme trata disso e mostra o vó da Auxiliadora, que é daquelas pessoas que reclamam do governo, mas são mesquinhas, corruptas e amorais. A atuação de todos os atores é impecável, o avó da menina é tão bom interpretando que você odeia ele de verdade. Mais um filme com o Irandhir, apesar dele ser só coadjuvante. Teve uma época em que eu assisti uns 8 filmes com ele no período de um mês e fiquei obcecada com ele e como ele sempre está em um bom filme que retrate algo do Nordeste. 

4. O Som Ao Redor (2013)


Sinopse: A presença de uma milícia em uma rua de classe média na zona sul do Recife muda a vida dos moradores do local. Ao mesmo tempo em que alguns comemoram a tranquilidade trazida pela segurança privada, sob liderança de Clodoaldo (Irandhir Santos), outros passam por momentos de extrema tensão. Simultaneamente, casada e mãe de duas crianças, Bia (Maeve Jinkings) tenta encontrar um modo de lidar com o barulhento cachorro de seu vizinho.

O que mais me chamou atenção nesse filme foi a personagem da Bia e a loucura contemporânea que ela traz. Eu já me irritei muito com alguns vizinhos que tive, mas essa irritação cresce na personagem ao ponto de quase virar obsessão. Eu gosto também de como esse filme mostra o cotidiano de várias famílias de poder aquisitivo diferente e como eles lidam com as tarefas domésticas. Tem uma dona de casa que vive pra casa e pros filhos, tem uma que é extremamente abusiva com a empregada e tem outro que trata a empregada como realmente alguém da família. Essas diferenças de tratamento fazem muito com que aquela frase "Você sabe como alguém é pela maneira que essa pessoa trata alguém prestando um serviço para ela". É desses filmes que não tem um super main plot e explora as características das relações interpessoais humanas.

5. Teus Olhos Meus (2011)


Resumo: Gil (Emílio Dantas) tem 20 anos de idade e é cheio de ideais. Músico por paixão, ele vive alternando sua rotina entre a boêmia e a poesia. Órfão, Gil vive com sua tia Leila (Paloma Duarte) e seu tio César (Roberto Bomtempo). Entretanto, seu estilo de vida faz com que ele seja expulso de casa. Sem destino, ele vaga com seu violão, até que conhece Otávio (Remo Rocha), um produtor que pode mudar sua sorte.

Sabe aquele dia que você tá de TPM, bem triste e quer assistir um filme divertido, engraçado e feliz pra te animar? Passe longe de Teus Olhos Meus. Não que o filme não seja lindo, é só digitar "teus olhos meus filme" no Google Imagens pra ter um acesso rápido a muitas frases profundas, significativas e que te fazem pensar. Eu me senti tão imersa na história que no final eu fiquei boquiaberta. Assistam esse filme sem perspectivas, ele vai se construindo diante dos seus olhos. É impressionante também como você vai conhecendo os personagens e mesmo assim percebendo como eles estão mudando ao longo do filme. Vou parar de falar, porque eu sou completamente apaixonada por tudo nesse filme! Tem participação do Fernando Anitielli, de O Teatro Mágico e a trilha sonora é maravilhosa!

Eu tinha pensado em muitos outros filmes e me deu vontade de repetir um post de indicações como esse. Mas como eu também me preocupo muito com o que vocês acham, queria saber se curtiram esse tipo de gênero, assim, mais sério. Acho que vou continuar porque já tá dando vontade de escrever outro post com mais cinco que eu queria colocar aqui... AUHAUHAUHAUAHU

Ahh, fiquem ligadas pro próximo post, que sai terça-feira! Vai ser uma continuação do post de pin-up girls! <3 Um beijo e até terça!

Comentários

  1. Olá rafa!
    Não posso generalizar, mas a maioria dos brasileiros acham que os filmes brasileiros não são bons, sem se quer ter assistido realmente filmes nacionais e ainda dizem que são poucos que salvam como esses que você citou e tropa de elite. Afinal esses tiveram divulgações na midia ou passarão nos cinemas. E os cinemas brasileiros dão pouco espaço para os filmes nacionais, mas isso me faz refletir. Se caso os cinemas passassem filmes nacionais teriam um bom público?
    Mas engraçado que se você parar conversar com alguém que diz gostar de filmes internacionais, ele cítara filmes americanos e talvez alguns europeus. Caso você pergunte a ele se tem algum filme internacional para indicar que tenha sido dirigido por algum país vizinho. A maioria não terá uma indicação. Uma realidade triste que vai muito além de filmes.
    Das indicações que você nos apresentou conheço apenas 2 deles. Baixio das bestas é filmes incrível, faz algum tempo que assisti, mas quero ver de novo com toda certeza. Teus olhos meus é um dos meus filmes favoritos!^^
    O último filme nacional que assisti e gostei foi Amores urbanos de Vera Egito.
    Não sou muito de assistir filmes, por falta de tempo. Ultimamente leio mais livros, afinal livro da pra ler em qualquer lugar, os cinéfilas que perdoem mais entre um livro e um filme, eu ficaria com o livro hahah
    Mas gostei muito desse tipo de post, pode com toda certeza indicar mais filmes que vou anotando, gosto de cria listas e a de filmes tem muitas páginas, a maioria é indicação do Bruna do blog Chanel Fake.
    Acho que o comentário está ficando longo, melhor parar por aqui.
    Pode trazer mais indicações de filmes que vou adorar! Mas por favorzinho não esqueça dos livros.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu AMO as indicações da Bru! Um dos motivos de eu não indicar mais filmes aqui é que as indicações dela são muito frequentes, boas e completas! <3 Eu tô numa fase de ler pouco e me sentir mal por isso, por não ler mais :/ Que bom que tu gostou do post, e sabe o que eu gosto também? Filmes argentinos! Mas enfim, vai ter mais post de indicação de filmes brasileiros siiim! <3 Beijão!

      Excluir
    2. Eu super apoio você indicar mais filmes, mesmo que a Bruna tenho já indicado, porque as vezes podemos compreender de forma diferente. Iria super legal ter 2 opiniões do mesmo filme =D
      Fiquei curiosa por esses filmes argentinos!
      Esse final de semana assisti pela milésima vez a Teus olhos meus, tenho máxima da certeza que um dos meus filmes favoritos!
      Tem outro filme que queria te indicar: Olga, vergonha agora pois não me lembro de que é o filme:( Mas o que importa é um bom filme (pelo menos nessa opinião péssima cinéfila hahha)
      Beijão

      Excluir
  2. Oi Rafa! Primeiramente: morta com o comentário acima, hahaha e por favorrr, não deixa de indicar filminhos aqui, mesmo que as vezes sejam os mesmos que eu indiquei lá, afinal acho que nossos gostos são bem parecidos.
    Eu sou apaixonada por cinema nacional e acho um saco gente só viu comédia pastelão da Globo Filmes (aka qualquer filme com Ingrid Guimarães e Leando Hassun) e enche a boca pra falar mal do nosso cinema. Tem pouco dinheiro investido nessa arte e mesmo assim nossos diretores fazem coisas INCRÍVEIS! Dos 5 que tu indicou, já assisti Teus Olhos Meus, Tatuagem e O Som ao Redor - acho que meu preferido é Teus Olhos Meus, porque mesmo não sendo tecnicamente perfeito, consegue surpreender e trazer vários questionamentos. Mas Tatuagem tem toda essa vibe transgressora e revolucionária que é extremamente contagiosa. Fiquei muito afim de ver os outros dois e vou assistir, provavelmente A Festa da Menina Morta primeiro porque já tinha ouvido falar sobre esse filme e agora lembrei dele, preciso ver!! haha Se tu nunca assistiu Lavoura Arcaica, te indico muito. É meu filme nacional preferido, também é meio polêmico, fala sobre incesto, mas é o filme mais poético e sensível que eu já vi no nosso cinema <3
    beijão!!!

    ResponderExcluir
  3. Bru, sua linda!
    Então, eu tenho um certo receio em postar sobre filmes porque de fato a gente tem gosto muito parecido, então eu médio que tenho medo de ficar redundante, visto que tu já fala tão bem de cinema <3
    MUITO OBRIGADA por me lembrar de Lavoura Arcaica. Eu tinha esquecido o quanto esse filme é bom, belo e rico. Aparentemente o cinema brasileiro gosta muito de incesto! HAUAHAUAHAUAHA Eu citei dois filmes com incesto nesse post e tu citou mais um! Se a gente pensar um pouco, vamos encontrar muito mais! AHAIAHAUAUAHA
    Eu acho que tu vai curtir muito o Baixio das Bestas também, ele é muito tocante. Ai, que bom que encontrei mais uma fã de cinema brasileiro assim como eu 🖤
    Beijão e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

• Comentários agressivos à autora ou aos leitores do blog não serão aceitos;
• Todos os comentários são respondidos, mesmo que demore uns dias. Se quiser acompanhar a resposta ao seu comentário, clique em "Notifique-me" que fica pertinho da caixa de comentário :)
• Se tiver blog, comente o link dele pra eu retribuir a visita :)
• Sua opinião é super importante e é o que me motiva a continuar postando. Obrigada desde já por comentar!

Postagens mais visitadas deste blog

Pin-ups trevosas do Brasil (post em parceria com a @violet.coffin)

Pin-ups alternativas brasileiras (Parte II)

Pin-ups alternativas brasileiras (Parte III)