quinta-feira, 28 de julho de 2016

O Último Adeus - Cynthia Hand (Editora Darkside Books): uma resenha

Primeiro de tudo: esse livro eu ganhei no sorteio que teve nesse post do blog da Anna Costa. A Darkside Books (MARAVILHOSA, tô só pela chegada do ano que vem pra tentar parceria com eles aqui pro blog <3) enviou pra minha casa, e eu resolvi usar esse livro pra ser o nº 37 do Desafio de Leitura VP.

Segundo: esse é meu primeiro livro da Darkside Books e eu só posso dizer que eu tô apaixonada pela marca e mais do que nunca eu quero todos os livros! Esse fim de semana eu e o boy fomos na Saraiva Mega Store do Shopping Iguatemi, em Porto Alegre, e chegando lá, tinha uma estante com vários livros da Darkside. Fiquei querendo levar todos <3 

Antes de começarem a ler o post com a sinopse, resenha e fotos, um aviso: tirei as fotos pelo celular, então perdoem a falta de qualidade, ok? :)

Quando chega uma caveirinha pra você, é impossível não ficar feliz <3


SINOPSE

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz.
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante.


O Último Adeus é um livro sobre suicídio. Mas não o que leva uma pessoa a cometer suicídio. Não sobre o suicídio em si. Mas sim uma história de como as pessoas que conviveram e amaram a pessoa que se suicidou ficam depois que ela se vai. E é assim que conhecemos Lex. A irmã mais velha do suicida. Durante o início do livro, é impossível não ficarmos curiosos com o que aconteceu para Ty, o irmão mais novo de Lex se suicidar.


Lex começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta Dave, já que ela não consegue pôr pra fora o que sente. No começo, a escrita é bem cética, ela pouco acredita que escrever vai resolver algo, mas pouco a pouco ela vai se soltando e passando a mostrar não apenas o lado da irmã do suicida, mas também o lado da garota de 18 anos que está prestes a entrar na faculdade, que não consegue mais ser a mesma pessoas com as amigas e amigos, que tem suas dúvidas, medos e o pior: a culpa. O tempo todo convivemos com a culpa de Lexie, sem entender exatamente a razão disso. 


Percebemos também, por meio dos relatos de Lex, a fragilidade de sua mãe e o distanciamento emocional que ela tem de seu pai. Tudo isso na cabeça de Lex começa a pesar, além da incrível e imensa saudade que ela sente de seu irmão. Ela se mostra o tempo todo culpada por não ter conseguido impedir seu irmão de fazer o que fez, por não ter identificado propriamente sua necessidade de dar fim à própria vida. E é muito interessante analisar essa culpa da Lex, que ela carrega durante toda a leitura que fazemos do livro, até chegar ao final e ela ter uma conclusão muito inteligente sobre o assunto.


Devo dizer que a Lex é uma personagem adorável. Gostei da riqueza com que ela foi criada, e fazia tempo que eu não me apegava tanto a uma personagem assim. Ela é inteligente, lógica, madura e sentimental. Ela é muito sagaz, e as descobertas que ela vai fazendo ao longo do livro só nos mostram quão inteligente ela realmente é. Aliás, fazia tempo que eu não me apegava tanto a um livro assim. Recebi de tarde e no fim da noite já tinha terminado o livro, só pra ficar com um gostinho amargo de saudade na boca. Mas mais além disso, me apaixonei pela imersão que a Cynthia Hand é capaz de nos proporcionar. 


Quando terminei de ler, vi a razão da autora conseguir nos inserir tanto no livro. Ela passou por isso que a Alexis passou e sabe a dor, a confusão, a culpa e tudo que vem quando algo assim acontece. Nas últimas páginas do livro, tudo acontece de maneira muito rápida e intensa, Mas quando acontece, lembramos de todas as dúvidas e suspeitas que tivemos no decorrer do livro e tudo é resolvido. Pra finalizar, o que tenho a dizer é que o livro é intenso, pesado e mesmo assim apaixonante. Sério mesmo, recomendo pra todo mundo!


Quanto à edição em si, a Darkside realmente acertou MUITO! O livro é todo ilustrado, tem esses rabiscos que a gente faz quando tá entediado com um papel e caneta na mão. Sem contar que a fonte do livro é colorida, o livro inteiro tem cor de azul bic! A capa é dura, tem marcador de página estilo Bíblia, com fitilho preso à encadernação. O livro veio com um post-it na capa, cobrindo o título. Até isso tem relação com a história. A edição é maravilhosa, não tem outra palavra pra definir.

AMEI o livro, sério mesmo. Obrigada Anna por ter feito esse sorteio, obrigada Darkside Books pela edição maravilhosa e por terem me enviado <3

Espero que vocês gostem, meninas :)

terça-feira, 26 de julho de 2016

Darkoutfit: Sabbath Bloody Sabbath

Faaaaaaaaaaala gurizadinha invocadora de demônios! (Gente, as saudações só pioram hahaha)

Eu realizei um dos meus sonhos semana passada, e claro que não poderia deixar de mostrar pra vocês. Comprei um coturno da Vilela Boots e foi só amor <3 Da minha lista de renovação do guarda-roupa, foi uma das últimas coisas que achei que iria comprar, junto com a jaqueta de couro e o espartilho. Bom, vou contar mais detalhes do coturno na primeira atualização do "Paint the wardrobe in black", ok? 

Agora, vamos ao Darkoutfit simplérrimo que bolei pra estrear meu coturno? As fotos foram tiradas pelo celular, no meu quarto mesmo. Que falta faz um tripé ou alguém pra fotografar, né? Haha


Até tem uns dias mais amenos nesse inverno, mas não tá dando (ainda bem) pra sair de casa sem uma manga comprida. Então amarrei na cintura um baita blusão de lã preto (que mal aparece) pra colocar por cima se esfriasse mais. 


Mas acabei ficando incomodada com o blusão na cintura e tirei na hora das fotos. Essa minha blusa do Sabbath eu comprei no dia do show que fui em 2013 em Porto Alegre. A estampa da camisa é a capa do álbum 13, do Black Sabbath. Muito bom, por sinal! 


A calça é uma legging com bolsos (queria ter mais umas 3 leggings assim pra usar sempre que quisesse haha). O look todo é bem básico, mas o coturno e a gargantilha fazem a diferença. Não usei maquiagem (dei um tempo de uma semana sem usar nada de make up) e soltei o cabelo. Esse é o jeito que eu normalmente me visto quando quero sair no dia-a-dia: bem básico e bem preto.


Eu não gosto de tirar fotos de corpo inteiro nesse cantinho do quarto por causa daquelas manchas no chão ali no canto direito da foto. Não sei o que os vizinhos anteriores fizeram, mas parece uma mistura de ferrugem e coisa queimada hahaha Quero encher essa parede de pôsteres e colocar alguma coisa ali no cantinho pra melhorar o espaço pra poder fotografar melhor :)


A choker é essa aqui da Loja Eliz Store e eu resenhei ela aqui nesse post, lembram? Ela é maravilhosa e confortável e ajudar a deixar o look menos "largado", por assim dizer hahaha Eu amei muito essa combinação por que me senti muito confortável usando, por mim eu iria trabalhar desse jeito <3

E aí, meninas, o que acharam desse look? E o que acharam desse coturno maravilhoso? <3
Espero que vocês tenham gostado! Um beijão pra todo mundo!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Recebidos da Dark Prophecy

Oi gurizadinha trevosa, maligna e maléfica! Hoje eu vim falar sobre uma loja que eu gosto muuuuuito e já fiz post sobre ela aqui. Vamos falar da Dark Prophecy <3 

A Dark Prophecy é mais uma do gênero BBG (bonito, barato e gótico UAHUAHUHAUHA) que eu descobri nessa internet de minha deusa, e tá ajudando MUITO na reformulação do meu guarda-roupa, do meu estilo, etc. Dessa vez, comprei mais dois chokers (falei que eu sou ALOKA dos chokers, gente!) e recebi dois presentinhos LINDOS da loja <3

Comprei a choker de Mjölnir e a de Bull Skull, e vocês nem imaginam minha surpresa quando eu vi a choker de lua e o par de brincos da deusa <3 O bom é que agora eu tenho o choker e o par de brincos da deusa, e eu tô usando muito os dois juntos! Abaixo, as fotos das peças que comprei/ganhei e no fim, tem um vídeo do snap comigo mostrando tudo direitinho <3

Recebidos da vez
               
Colar Mjölnir  - R$ 8,00
O que é esse pentagrama MARAVILHOSO?

Choker Bull Skull - R$ 12,00
Brinco deusa (não tem no site ainda, mas aqui tem outro)

Choker quartzo rosa - R$ 17,00

 Eu sei que eu disse que não ia mais comprar acessórios, mas juro que tô com vontade de comprar todos os chokers com pedras que eu vejo pelo site! Sério, quero todas as peças de lá! E o que eu amo na Dark Prophecy (além de ser barato, ter peças do meu estilo e as peças terem uma EXCELENTE qualidade) é que as caixinhas que acompanham as peças ajudam a proteger e MUITO as coisinhas que a gente compra, sem contar que eu passei a usar as caixinhas pra guardar minhas bijoux da marca <3

video

É impossível não se apaixonar, né? <3 <3 <3





terça-feira, 19 de julho de 2016

Recebidos da Loja Eliz Store

Oi, gurizadinha trevosa! Essa semana foi definitivamente muito cansativa e corrida, trabalhei demais, chegava em casa e estava super cansada. Mas tenho tantas novidades pra vocês! Primeiramente, o banner! \o/
Ele foi feito pela Gabriela Alves, do blog Madessy. Essa linda acertou MUITO no banner, ficou do jeito que eu queria e muito a minha cara <3 Com isso, mudei (novamente) um pouco do layout do blog, e aos poucos vou deixando tudo do jeitinho que eu queria. O importante é que agora eu sinto que o Vultus Persefone está com a cara que eu queria deixar <3

Bom, semana passada eu queria ter postado os recebidos da Loja Eliz Store, mas as coisas chegaram depois e eu acabei não tendo tempo pra fotografar. Quem me acompanha no Instagram já deve ter visto MUITO dessas coisas que eu vou postar :) A verdade é que eu estou VICIADA em comprar acessórios. Ultimamente eu estava sem praticamente nenhum, então comprei algumas coisinhas (como essas coisas aqui na Dark Prophecy) virei ALOKA dos chokers, e agora tenho bastante coisa pra usar <3

Fiz duas compras na Loja Eliz Store e ganhei uma amiga: a Eliz! Ela é uma pessoa maravilhosa e a gente sempre conversa um monte, sobre tudo um pouco. Ela é super atenciosa e as peças que ela cria são maravilhosas! Torço muito por ela e pela loja, sei que só tem a crescer :) Os preços das peças são baratos mesmo, como vocês vão ver nas legendas das fotos :)

Choker Veludo - R$ 7,00
Choker Inspiration Punk (opção sem pingente) - R$ 10,00
Gargantilha Pentagrama - R$ 10,00
Choker Circle Pentagram - R$ 10,00
Pentagrama black (par de brincos) - R$ 10,00
Choker Pentagram - R$ 15,00
Gente, é impossível não se apaixonar pelas peças! Vocês perceberam que eu tô toda trabalhada nos pentagramas, né? E falando sobre pentagramas, eu tô apaixonada nesses brincos e na gargantilha! Eu já vi ambas as peças em outras lojas custando 3x mais, sabiam? Então é super legal encontrar uma loja que não cobre o olho da cara em uma peça. A qualidade é muito boa mesmo, e as peças vem protegidas por uma película que impede a peça de arranhar. Eu tirei as películas das minhas , acho que fica mais brilhante e bonita, mas fiquei feliz de ver o cuidado da peça. E as peças vieram acompanhadas do marcador e do cartão da loja e do blog da Eliz:




Pra resumir: peças baratas, de qualidade e com temática gótico/mística tem na Loja Eliz Store! Eu tô apaixonada <3 E vocês, o que acharam das peças :)

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Um Sussurro Nas Trevas - H. P. Lovecraft (Editora Hedra): uma resenha

Oi oi gurizadinha das sombras e do mal (minhas saudações tão piorando, uma hora eu paro hahaha)
Hoje eu venho trazer pra vocês a resenha de um livro do H. P. Lovecraft, que foi o autor/categoria que eu escolhi representar como parceira da Editora Hedra. É uma edição de bolso (adoro edições de bolso) muito maravilhosa, vou mostrar as fotos pra vocês darem uma olhada. E como a Hedra é parceira do insta (@vultuspersefone) e do blog, clicando aqui você tem 20% de desconto na categoria Lovecraft <3

Na resenha eu não vou dar spoiler nenhum, vou apenas contar minha experiência com esse livro e a narração do Lovecraft, ok? Então podem ler tranquilos e sem medo (a resenha, já que o livro vai dar medo siiiiim) :)


Tirando essa primeira foto, todas as outras que fiz foram com a luz do quarto apagada e à luz de velas, pra criar um clima mais sinistro. Se eu soubesse como criar um jeito de passar em fotos o mesmo horror que o livro passa, acho que tudo ficaria mais interessante haha Mas vou tentar passar na narração. A seguir, a sinopse, minha opinião sobre o livro e as fotos à luz de velas.

Sinopse

Um sussurro nas trevas (1930) narra os acontecimentos ocorridos após as grandes enchentes de Vermont em 1927. Ao ouvir histórias sobre cadáveres de animais desconhecidos boiando nas águas, o acadêmico Albert N. Wilmarth tenta vincular os relatos às crenças populares da região. O assunto ganha os jornais e a seguir entra em cena Henry Wentworth Akeley, o folclorista de Vermont que acredita na existência de cultos secretos e criaturas inumanas nas colinas do estado – e logo percebe estar diante de coisas muito mais poderosas do que seria capaz de imaginar. Um sussurro nas trevas é um dos grandes expoentes do “horror cósmico” de Lovecraft. O volume traz em apêndice dois textos inéditos em português: “Vermont – uma primeira impressão”, um poético relato da viagem que influenciou de maneira decisiva a escritura dessa novela e “O sussuro reconsiderado”, ensaio do escritor Fritz Leider, publicado originalmente na revista Haunted (1964).

_________________________________________________________________________________________________

Primeiro de tudo: esse livro foi o escolhido para o tema 33, do meu Desafio de Leitura pessoal, no tema "livro de suspense/terror".

O livro é bem diagramado e a capa é maravilhosa. A arte da capa é de Tulio Caetano e se chama "Viagem a Yuggoth". A Hedra tem mais ou menos 142 livros de edição de bolso, e sinceramente, minha vontade é de ter a maioria deles! A tradução do Guilherme Silva Braga ficou muito boa, visto que em todos os momentos temos um texto fluente.

As primeiras páginas do livros nos deixam confusos, pois relatam de maneira enigmática, o fim da história, até que Wilmarth começa a explicar tudo e assim vamos nos adequando ao universo do livro. Albert Wilmarth, um folclorista, depois de publicar em um jornal uma história de estranhos corpos boiando, que foi trazida à tona depois das enchentes de Vermont, recebe uma carta de Henry Akeley, que começa a rebater a teoria de Wilmarth que dizia que aquelas lendas eram, por assim dizer, mais do mesmo, com características muito parecidas com várias outras lendas. Akeley, no entanto, falava que tinha provas da existência de tais criaturas, e aos poucos começa a introduzir Wilmarth, através de cartas, em sua própria crença sobre esse mistério.

Logo aqui, vou deixar o que eu vi ser a única crítica quanto ao livro: todas as cartas que Wilmarth recebeu de Akeley foram perdidas em determinado momento, e quando Wilmarth conta essa história, ele transcreve todas as cartas "de cabeça", como se tivesse decorado todas as palavras de Akeley para ele. Não dizendo que isso seja impossível, mas são várias cartas e todas elas são longas, como ele poderia decorar? Depois de tanto pensar sobre isso é que me liguei que talvez fosse isso que Lovecraft quisesse: deixar o leitor em dúvida, desconfiando das palavras de todo mundo em relação às lendas. Se era isso que ele queria, conseguiu!



Em uma narrativa super descritiva e que nos faz desconfiar o tempo todo de estarmos sendo observados, vemos Wilmarth sendo pouco a pouco convencido pelos relatos de Akeley sobre as criaturas aladas, porém meio que semelhantes a caranguejos. A super descrição de Wilmarth nos faz temer por Akeley, pelo Wilmarth, e por todo mundo que esteja envolvido e de alguma maneira ciente dos horrores daquelas criaturas.

Lovecraft é famoso por usar o "terror cósmico" ou "cosmicismo" em suas histórias e não só por isso: é o criador desse estilo de escrita. Constantemente, durante a leitura do livro, minha mente meio que se expandiu ao perceber que o terror que se tratava no livro não era simplesmente algo dentro do que eu considerava assustador, e sim ia muito além disso. Lovecraft, com sua incrível descrição e narração que te prendem ao livro a ponto de deixar em agonia, mexe com as nossas ideias de real e irreal, e quando ele mistura tudo isso, nos jogando na cara a insignificância humana em relação a todo o Universo, é que o medo realmente vem.


Durante a leitura, é impossível não sentir o temor e a curiosidade de Wilmarth. Quando ele é convidado a ir até a casa de Akeley, conseguimos sentir em cada momento a fusão de pensamentos que Wilmarth tinha em relação aquela visita, e aos acontecimentos que desencadearam aquele convite. O final do livro é "de cair os butiá do bolso", como dizemos aqui no Rio Grande do Sul. Lovecraft vai construindo, durante todo o livro o horror de Akeley, e com isso, o horror de Wilmarth. O final do livro nos puxa o tapete e é uma reviravolta tão rápida que impressiona. No fim das contas, o livro termina como começou: intrigante e cheio de mistérios.

Pra vocês sentirem um pouco da agonia que o livro dá, trago uma parte do relato de Wilmarth pra vocês:

"A iminência e a proximidade das colinas abobadadas tirou-me o fôlego. O caráter íngreme e abrupto das encostas era muito mais intenso do que eu havia imaginado e não parecia ter relação alguma com o mundo prosaico e objetivo que conhecemos. Os bosques densos e ermos naquelas encostas inacessíveis pareciam servir de abrigo a incríveis criaturas alienígenas, e tive a impressão de que o próprio contorno das elevações encerrava um significado críptico e esquecido por éons, como se fossem enorme hieróglifos deixados por uma suposta raça de titãs cujas glórias vivessem apenas nos sonhos mais belos e profundos. Todas as lendas do passado e todas as alegações das cartas e evidências de Akeley ressurgiram na minha lembrança para intensificar a atmosfera de tensão e de ameaça iminente. O objetivo da minha visita e as terríveis anormalidades que postulava de repente atingiram-me com um calafrio que por pouco não me fez esmorecer o meu ardor por estranhas descobertas."

Eu sou muito suspeita pra falar de Lovecraft, já que desde os onze ou doze anos eu leio livros dele. Esse é apenas mais da intrigante obra de Lovecraft, e eu não posso deixar de agradecer à Editora Hedra por ter me dado a oportunidade de representar um autor que eu gosto tanto. Obrigada, Hedra!

E obrigada a você por ter acompanhado essa resenha. Seguem algumas fotos à luz de vela que eu fiz do livro. Abraços e até a próxima resenha!





terça-feira, 5 de julho de 2016

Retrospectiva #4: Junho/2016


Fala aí, coisinhas trevosas de my life! Primeiro quero pedir desculpas pelo sumiço de uns dias. Acontece que ultimamente eu tenho estado extremamente improdutiva por causa do cansaço. Cansaço mesmo, mais pra fadiga. Chego em casa, faço uma coisinha ou outra pra organizar/limpar, leio um pouco e logo preciso dormir. Mas essa semana eu já tenho alguns posts pré-programados: além dessa retrospectiva, até domingo vai ter os recebidos da Eliz Store e a resenha de Um Sussurro Nas Trevas, do H. P. Lovecraft. Julho é o início do segundo semestre do ano, e com ele também vem o Desafio de Leitura! Esse mês vamos falar muito sobre livros (e contos do Poe! <3) aqui no blog :)

Bom, mas vamos agora às fotos do Instagram, e como nas versões anteriores da Retrospectiva, a descrição de cada foto está na legenda das imagens. E no final, os posts que eu postei em junho pra quem quiser dar uma olhada :

Foto 1: comidinha que eu fiz em uma noite fria (junho foi bem frio, saudades)
Foto 2: Uma foto de darkoutfit
Foto 3: Troquei o piercing do septo, yay
Foto 4: outra foto de darkoutfit
Foto 5: Pra quê sair de casa se temos HQ do Darth Vader?
Foto 6: Euzitcha no trampo
Foto 1: eu, sendo estranha.
Foto 2: Foto do #DesafioUA que eu e as meninas do grupo Universo Alternativo iniciamos em junho e durou 10 dias
Foto 3: Retrospectiva no #DesafioUA
Foto 4: Darkoutfit lindo que eu AMEI
Foto 5: Início do #DesafioUA
Foto 6: Eu uso demais as fotos do mesmo Darkoutfit

Foto 1: São Francisco de Paula/RS
Foto 2: Duas pessoas que gosto e admiro, era #DesafioUA
Foto 3: Vídeo, na real. É o Tyrion dando um tapa no Joffrey <3
Foto 4: Minha parede de pôsteres é só amor
Foto 5: Livro preferido, do #DesafioUA
Foto 6: Eu, estranha as always
Foto 1: Um Darkoufit diferente
Foto 2: Make que eu amei e gargantilha da Dark Prophecy <3
Foto 3: Mais um #DesafioUA
Foto 4: Eu, ainda mais estranha (essas fotos ficaram meio bizarras, pensando bem)
Foto 5: Sim, eu já disse que eu uso demais as fotos de Darkoutfits
Foto 6: Mais uma foto com os acessórios maravilhosos da Dark Prophecy
Fotos 1, 5 e 6: Darkoutfit
Foto 2: Uma árvore que fica no terreno ao lado da miha casa
Foto 3: Mais uma do #DesafioUA
Foto 4: Mais uma com os acessórios da Dark Prophecy que não saem mais de mim
Fotos de 1 a 6: fiz todas essas fotos em um dia bem frio que eu me empolguei com o delinado hahaha
Foto 1: Dia de assistir The Craft
Foto 2: Essa foto também está estranha
Foto 3: Resquícios de 1500 fotos com essa make
Foto 4: Foi pro post sobre o Red Lips Day!
Foto 5: Numa noite fria de Porto Alegre, eu e o boy nos esquentamos com China in Box
Foto 6: Red Lips Day!
Fotos de 1 a 4: Recebi minhas coisinhas da Eliz Store e não tirei essa dupla de choker e brincos de pentagrama por nada
Foto 5: Frio frio frio
Foto 6: Tô apaixonada no livro que a Editora Hedra me enviou <3
Foto 1: mais pentagramas
Foto 2: sushi em buffet livre é noisss
Foto 3: Sorteio da Loja Eliz Store
Foto 4: Eu viajandona ao som de Pink Floyd
Foto 5: Lendo The Killing Joke, do Batman
Foto 6: Led Zeppelin
Junho eu postei foto pra caralho, mano! Hahahaha! Também teve vários posts, vou fazer uma listinha aqui dos posts de junho, vamos lá?


  1. Comprinhas na Dark Prophecy
  2. Darkoutfit: Sobretudo e pentagrama
  3. Sombra Vult Uno Preta (MA-08): resenha
  4. Sobre "lojas alternativas" e um pouco mais
  5. Red Lips Day e o que o batom vermelho representa pra mim
  6. Projeto de Leitura Pessoal/2016.2
  7. Paint the wardrobe in black
  8. Darkoutfit: witch bitch
  9. Minhas tatuagens e seus significados
Então gente, por hoje e só e fiquem atentos aos posts que farei essa semana :) Beijão!